Escreva à União das Misercórdias

As Misericórdias são proprietárias de grande parte das praças de touros existentes em Portugal.
Com o aumento da classificação etária das touradas para "maiores de 16 anos" o Estado está a assumir que estes espetáculos são nocivos para as crianças e jovens, pelo que é inaceitável que estas instituições continuem a promover a realização de touradas, um espetáculo cruel e violento que contraria os valores e princípios de responsabilidade social e que não tem em conta o superior interesse das crianças.
A própria Igreja Católica já se pronunciou várias vezes contra as touradas, mas a verdade é que a União das Misericórdias assinou em 2018 um protocolo com a Federação Prótoiro para "dinamizar cerca de 35 praças de touros no país" promovendo a tauromaquia deixando para segundo plano aquela que deve ser a sua missão.
É a altura de exigir que as Misericórdias deixem de promover as touradas e invistam na reconversão das suas praças de touros em espaços saudáveis de cultura e lazer, protegendo as crianças e jovens deste tipo de violência.